segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Tem alguém dizendo que o Vita será 'um desastre'




A produtora Heavy Iron Studios conhece bem a arte de socar o ar. Ela foi a responsável pelo game de exercício UFC Personal Trainer, além de vários jogos licenciados de filmes da Pixar. Agora Lyle Hall, o chefe do estúdio, tem algumas palavras violentas para desferir sobre o PlayStation Vita, o novo portátil da Sony.
“As pessoas não querem carregar mais de uma coisa no bolso, é por isso que o Android e o iPhone têm dado tão certo, eles oferecem várias funções além de jogos”, disse o executivo ao site Gamesindustry. “As pessoas não o querem [o Vita]“.
Hall se pergunta por que as pessoas pagariam US$299 pelo PS Vita se não pagaram US$249 pelo Nintendo 3DS. Isso dependerá na capacidade da Sony de oferecer um catálogo de jogos atraentes.
Apesar de Lyle admitir que a tecnologia por trás do Vita é “bacana”, ele disse que o lançamento do portátil será uma “acidente de trânsito”. Pelo menos ele não disse que seria um desastre de avião ou um desastre nuclear. Que bom!
“Eu sou um grande fã de tecnologia móvel”, disse. “Mas eu simplesmente não sei se ainda há um mercado para esse tipo de hardware. Eu não vejo motivo para alguém lançar um aparelho que só rode jogos”.
Tanto o 3DS e o Vita fazem outras coisas além de rodar jogos, mas o foco deles é a joagtina – ao contrário dos smartphones, onde os games são um “extra”. Hall disse que “o consumidor fez-se ouvir”, e não acha que os videogames portáteis tenham vez de novo.
Apesar de tudo, o executivo levantou um ponto importante: está ficando cada vez mais difícil justificar pagar US$40 por um jogo portátil quando o mesmo dinheiro rende uma tonelada de games divertidos em um iPhone, por exemplo.
A Sony e a Nintendo têm uma missão muito simples: fazer jogos melhores que nunca se quiserem atrair os jogadores para longe dos seus telefones e de volta para os portáteis.
>> Vita vai ser um desastre [GamesIndustry, em inglês, via Eurogamer]