quinta-feira, 9 de junho de 2011

Soulcalibur V e um novo recomeço

Há um novo episódio na longa série de lutas armadas da Namco, Soulcalibur. Um jogo que os criadores dizem ser “mais leve, rápido e elegante” que os seus sucessores. Também é um game com batalhas “mais dinânimcas”, e que pega influêncas de Street Fighter IV e Mortal Kombat.
Diz o produtor Hisaharu Toga que Soulcalibur V  traz uma ênfase maior em golpes grandes e dramáticos, um daqueles que você normalmente veria em um dos jogos da Capcom. Você pode chamá-los de “técnicas EX”, ou simplesmente dizer que são aqueles super ataques que quebram um pouco o ritmo do combate, podem ser carregados, e então liberados para cima de um oponente incauto que baixar a guarda.
Eu vi Soulcalibur V em ação na E3 2011, quando o pessoal da Namco se enfrentou usando os novos personagens,Patroklos e Pyrrah. Eles são irmãos de origem grega, filhos da famosa – e tradicionalíssima – lutadora Sophitia. E são apenas dois dos 20 ou 30 personagens planejados para o elenco final. Que, dizem, será composto metade por veteranos e metade por novatos.
Patroklos e Pyrrah têm os tais golpes especiais estilo EX – ataques que fazem a tela ficar escura logo antes de eles liberarem sequências fantásticas de combos e ganchos. Uma barra de especial agora faz companhia ao medidor de vida e pode ser preenchida até três vezes. Para gastá-la, basta fazer as tradicionais “duas magias para frente”.
A demo usada pela Namco é a de um protótipo bem preliminar e que usava boa parte das animações e modelos de Soulcalibur IV. Nela havia ainda outros dois personagens: o espadachim japonês Mitsurugi e o cavaleiro Siegfried,como visto no trailer da E3.  O primeiro parecia pelo menos 15 anos mais velho do que deveria ser pela cronologia do jogo, com longos cabelos grisalhos. O segundo, nem tanto. Ambos estavam bonitos e visualmente mais impressionantes, devido à nova “engine” do jogo, que agora tem novos truques visuais de iluminação.
Vimos batalhas em dois cenários: um navio flutuante e em uma jaula chamada “Câmara de Tortura”, que evitava que os jogadores caíssem para fora do ringue.
Enquanto assistia a pouco mais de dez lutas no modo single player, o produtor de Soulcalibur V disse que o jogo dá mais importância ao aspecto da história do que seus antecessores e que a concorrência. E quando perguntei sobre a abordagem que o estúdio dará à narrativa, especificamente no que diz respeito à excelente solução usada pelo mais novo Mortal Kombat, ele meio que disse que “sim”.
Tago disse que a equipe está “consciente das tendências” cinematográficas usadas pelo jogo da Netherrealm para contar uma história em jogo de luta. Ele ainda completou, revelando que o modo de campanha de Soulcalibur Vtrará uma série de novos elementos, como tutoriais para que os jogadores aprendam as minúncias do sistema de batalha.
O novo Soulcalibur parece promissor, mesmo em um estado tão bruto. Mas parece também que há muitas melhorias e mudanças por vir, então espere algo diferente até o lançamento do jogo em 2012. Soulcalibur V terá versões para PlayStation 3.